Domingo, 2 de Abril de 2006

alegorias

dá a terra lugar à vida e do seu ventre ela brota numa certeza inalienável: a ela todo o nado retornará para reiniciar o ciclo vital.

dos galhos e dos ramos caem os frutos sem idade: caem os recém nascidos, os jovens, os maduros ou os envelhecidos. todos um dia hão-de cair para à mãe se juntarem que, da mesma forma que os gerou, os acolherá e renovará em outra vida.

não escolhe quem, nem onde, nem como.

a natureza tem uma certeza inalienável: tudo a si retornará.

a minha certeza: a mim não retornarás; aos afectos não se permite a escolha, mas a aceitação.

o meu afecto jamais conseguirá aceitá-lo.

tá-se:
danço: and I miss you like the desert miss the rain
eu sou dionisante às 19:20

ah! | ditos | quero-te comigo

a face oculta

pesquisar

 

Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

é proíbido

telegrama transeunte

angels

apontamentum

.........

gratia

lava

heranças

titanico

em nome da mãe

Matrix

rastos deixados

Novembro 2008

Agosto 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Novembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Abril 2006

Março 2006

:o

todas as tags

segue-me

blogs SAPO

subscrever feeds