Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008

telegrama transeunte

 

há uma sublime vantagem em não nos alimentarmos do sonho - a realidade, na sua crueza, jamais aparece como surpreendente.

 

à inteligência requer-se originalidade.

 

o desvio das águas que correm é óbvio: troca-se a ilusão pela lucidez; a rotina deve substituir-se pela renovação.  e as rotinas aparentes, de verdade camufladas, preenchem espaços vazios de nada.

 

há que iludir o vácuo.

 

as iusões da espera não se cultivam, não se plantam flores em jardins, não se sonha com amor e afinidades.

 

coloca-se a máscara da surpresa para enganar o futuro, breve futuro, desmascarado no presente.

 

ainda que sustentável nas raízes do passado, o presente apresenta-se presentificado em acto.

 

sobram as palavras para semidesvelar consciências opacas.

eu sou dionisante às 23:00

ah! | ditos | quero-te comigo

a face oculta

pesquisar

 

Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

é proíbido

telegrama transeunte

rastos deixados

Novembro 2008

Agosto 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Novembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Abril 2006

Março 2006

:o

todas as tags

segue-me

este foi o teu passo em falso

Mesothelioma Cancer
Mesothelioma Cancer
blogs SAPO

subscrever feeds